O Quarto do Felino

“A origem do gato persa” Abril 30, 2007

Filed under: Curiosidades — Raquel @ 11:00 pm

Eu nem devia publicar esta imagem neste espaço, uma vez que sou uma aficionada por gatos, em especial por gatos Persas! Mas acho que está com alguma piada e resolvi partilhar 🙂 . Os meus pequenos que me perdoem, eles são muito perfeitinhos e juro que não levaram com a frigideira 😀

image00131.gif

 

Desejo Abril 28, 2007

Filed under: Poesia — Raquel @ 6:15 pm

Queria ser essa noite que te envolve; e
cobrir-te com o peso obscuro dos braços
que não se vêem. Um murmúrio
desceria de uma vegetação de palavras,
enrolando-se nos teus cabelos como
secretas folhas de hera num horizonte
de pálpebras. Deixarias que te olhasse
o fundo dos olhos, onde brilha
a imagem do amor. E sinto os teus dedos
soltarem-se da sombra, pedindo
o silêncio que antecede a madrugada.

Nuno Júdice (in O Estado dos Campos)

 

Leopardo

Filed under: Curiosidades — Raquel @ 6:01 pm

Já aqui foram mostrados dois felinos, “donos” deste espaço. São lindos, meigos, companheiros, muito peludos e com muita personalidade! A minha companhia de há 12 anos. Sou uma apaixonada por felinos no geral, acho-os os animais mais fortes e ternurentos da vida animal. Hoje falarei um pouco dos de maior porte que não deixam de ter o seu ar sedutor que encanta qualquer um! O leopardo
Até recentemente, acreditava-se que o leopardo africano, a pantera asiática e a pantera negra de Java eram espécies animais diferentes. Hoje sabe-se que não é assim. O nome leopardo é usado no continente africano, e pantera é mais comum na Ásia. A pantera negra pode ter pais e filhos pintados. A cor negra é causada pelo excesso de melanina, que é um pigmento que provoca essa variação de cor, oposta ao albinismo.
Qualquer que seja o seu nome, o leopardo é um animal solitário, mas belo. Seu caminhar ondulante, seus movimentos graciosos e o olhar estranho são fascinantes.

leopardo.jpg black-panter.jpg

Mais fascinante ainda é o Leopardo das Neves: é um felino que habita as grandes altitudes da Ásia central, principalmente o Tibete, o Nepal, a Índia, o Paquistão, o Himalaia e o monte Everest. Sua pelagem é uma das mais belas dentre todos os felinos, é macia e espessa, de pêlos longos e sedosos, com uma lanugem na base. Essa pelagem é útil para se esconder ou se camuflar na neve e caçar as suas presas por emboscada.
Embora habite regiões remotas e de difícil acesso, actualmente o leopardo das neves encontra-se na lista de espécies ameaçadas de extinção porque os seus ossos, a sua pele e alguns dos seus órgãos são utilizados pela medicina asiática para a produção de remédios.

leopardo_neves.jpg

Nome popular: Leopardo das Neves
Nome Científico: Panthera uncia
Distribuição geográfica: Entre 3 000 e 6 000 metros, nos Himalaias e nas montanhas do norte da China.
Habitat natural: As montanhas.
Hábitos alimentares: Desde um Yak (que pesa mais de 200kg) até um pequeno veado almiscarado (que pesa somente 10kg). Podem predar aves como o faisão ou as pequenas marmotas.
Tamanho: Comprimento: até 1,50 metro; mais 1 metro de cauda. Altura: até 70 cm.
Peso: Até 80 kg.
Período de gestação: cerca de 90 dias.
Número de crias: Em média 3.
Tempo médio de vida: 20 anos.
Estado de conservação da espécie: Encontra-se em vias de extinção.

 

A mesma música… Abril 26, 2007

Filed under: Sem categoria — Raquel @ 11:09 pm

Certamente já ouviram as expressões “tocam a mesma música” ou “ouvem a mesma música“! A primeira é normalmente atribuída a duas ou mais pessoas, colegas/amigos que defendem a mesma ideia, partilham da mesma opinião, estão do mesmo “lado”. À segunda associamos dois amantes, que estão envolvidos no mesmo som, estão na mesma sintonia.
Não sei se já repararam, mas tenho constatado que na maior parte dos casos a música está sempre presente no início do enamoramento. Quando duas pessoas se conhecem e pretendem aproximar-se, conhecer mais o outro, utilizam muitas vezes a troca de CD’s, partilham opiniões sobre que tipo de música gostam e ouve-se “hei-de trazer um cd que sei que vais gostar!” Penso que é um modo de saber se somos parecidos, se “ouvimos a mesma música”, e se sim, já é um bom indício para uma escolha acertada! Se não…, é melhor pensar bem! 🙂
Não é só em relação à música, os filmes e séries televisivas também entram nesse jogo, …mas mais tarde. Sobre filmes, a discordância torna-se mais fácil de gerir e ceder, penso não ser um factor tão crítico. Assim como as séries televisivas. Mas duvido que um elemento masculino goste de partilhar um serão a ver uma telenovela com a sua formosa papoila. 😀
Que conversa estou para aqui a ter!, é resultado das minhas viagens semanais ao Porto, nas quais tenho de cantar, pensar e inventar qualquer coisa que me mantenha desperta no regresso a Coimbra.
Pois continuando a minha dissertação, no que diz respeito a séries televisivas, num caso muito particular, as telenovelas, podem-me chamar foleirita, mas sabe-me muito bem chegar a casa depois de um dia extenuante, deitar-me no sofá, ligar a televisão e ver uma série “dramático-cómica” semestral (aproximadamente) onde maioritariamente se fala no gerúndio. Também há sempre a opção de bater repetidamente com a mão na parte de trás do pescoço e dizer “relaxa, relaxa…”, como uma menina, no momento, Madrilena nos seus tempos académicos!… Acho que prefiro os meus casuais serões 🙂 .

 

Orionte Abril 25, 2007

Filed under: Astronomia — Raquel @ 6:56 pm

Quando olhamos para o céu coberto de estrelas, numa noite limpa sem a poluição luminosa e atmosférica da cidade, notamos que estas se distribuem de forma irregular, variando a abundância em diferentes regiões da abóbada cesleste. Umas são muito brilhantes, outras mal se vêem, prestando bem atenção reparamos que também possuem cores diferentes: umas amareladas, outras brancas, avermelhadas, alaranjadas e algumas até azuladas!
Para a grande maioria torna-se muito difícil encontrar um desenho ordenado no meio de tal variedade e desordem. Somando o facto de o aspecto do céu mudar de hora para hora e também com a época do ano.
Mas, apesar das dificuldades, o reconhecimento do céu é possível e qualquer pessoa conseguirá fazê-lo. Eu sou uma apaixonada pelo céu estrelado e tudo aquilo que o envolve (mitologia, mistério, descoberta…).
Certamente concordam comigo de que o nosso céu está cheio de belezas extraordinárias e constelações magníficas! Hoje vou aqui expor a que mais me encanta e me deixa horas a olhar para ela… Orionte!
Orionte (ou Orion) é provavelmente a constelação mais óbvia e imponente de todas. Localiza-se a sueste do Touro e é nela que se encontra a famosa nebulosa de Orionte, um dos locais conhecidos onde se processa activamente a formação de novas estrelas. A origem desta constelão é muito antiga.

orion1.gif

É facilmente identificável pois as estrelas que formam os vértices do seu formato quase trapezoidal, Betelgeuse, Bellatrix, Rigel e Saiph, são muito brilhantes. É durante o Inverno que é mais fácil de observá-la. A cortar esse trapézio aparecem um conjunto alinhado de estrelas, parecendo ser três, as quais têm a característica de estarem sobre o equador celeste. Da esquerda para a direita: Alnitak, Alnilam e Mintaka. Estas estrelas também são conhecidas pelas Três Marias ou Três Reis Magos ou ainda Cinturão de Orion, cinturão de onde parece pender uma espada, uma mancha que é a nebulosa de Orionte.

orion_21.jpg

Lenda: Orionte representa um caçador heróico, armado com uma moca na mão direita; na mão esquerda segura uma pele de leão , como escudo, (existem várias representações gráficas, esta foi a que encontrei…, não está muito concordante 🙂 ) para se proteger do ataque do Touro. Orionte era um caçador vaidoso, que se gabava de poder matar qualquer animal. Acabou por ser mortalmente picado pelo Escorpião. foi colocado no céu em posição diametralmente oposta à do seu inimigo: quando o Escorpião nasce, Orionte mergulha no horizonte, e vice-versa, numa perseguição sem fim.
(Bibliografia: Almeida, Guilherme; “Roteiro do Céu”; 3ª Edição; Edições Plátano; e Almeida, Guilherme; Ré, Pedro; “Observar o Céu Profundo”; 1ª Edição; Edições Plátano; ANC)

 

Revolução dos Cravos

Filed under: Música — Raquel @ 12:49 am

Grândola Vila Morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti ó cidade

Dentro de ti ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da Fraternidade
Grândola Vila Morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola Vila Morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola Vila Morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra de uma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra de uma azinheira
Que já não sabia a idade

José Afonso

cravos-drta.jpg


Grândola Vila Morena
é a canção composta e cantada por Zeca Afonso que foi escolhida pelo movimento das forças armadas (MFA) para ser a segunda senha de sinalização para a revolução dos cravos. A canção refere-se à fraternidade entre as pessoas de Grândola, no Alentejo, e teria sido banida pelo regime Salazarista como uma música associada ao Comunismo. Às 00h20m do dia 25 de Abril de 1974, a canção era transmitida numa rádio nacional, como sinal para confirmar as operações da Revolução. Por esse motivo, a ela ficou associada, bem como ao início da Democracia em Portugal.
O levantamento militar do dia 25 de Abril de 1974 derrubou, num só dia, o regime político que vigorava em Portugal desde 1926, sem grande resistência das forças leais ao governo, que cederam perante o movimento popular que rapidamente apoiou os militares. Este levantamento é conhecido por 25 de Abril ou Revolução dos Cravos. O levantamento foi conduzido pelos oficiais intermédios da hierarquia militar (o MFA), na sua maior parte capitães que tinham participado na Guerra Colonial. Considera-se, em termos gerais, que esta revolução devolveu a liberdade ao povo português (denominando-se “Dia da Liberdade” o feriado instituído em Portugal para comemorar a revolução). (http://www.pt.wikipedia.org)

Será necessário outra? Não saímos da “cepa torta“! Será a única solução?… 😦

 

Kryptonite Abril 24, 2007

Filed under: Ciência — Raquel @ 7:16 pm

Foi descoberto numa mina da Sibéria um mineral, segundo os cientistas, em tudo semalhante ao fictício “Kryptonite” do Super-Homem. 🙂
Na história, kryptonite é um material oriundo de Krypton, quando este explodiu e foi destruido. Aparece normalmente como uma pedra verde ou um metal e destrói os poderes do Super-Homem.
kryptonite.jpg

O composto do novo minério é diferente de tudo aquilo que é já conhecido pela ciência. Ao contrário do descrito na ficção, apresenta cor branca, sem brilho e é inócuo, mas os outros aspectos são similares à descrição da Kryptonite (sódio, lítio, hidróxido de silicato de boro).

O mineral será baptizado de Jadarite, parecido com o local onde foi encontrado (Jadar). Os mineralogistas gostariam de chamar-lhe criptonite, mas a descoberta em nada se assemelha a critpon, um elemento real da Tabela Periódica. (in Sol).